Lacuna legislativa pode atrapalhar segurança de dispositivos em IoT

14

Por Caroline Boletta e Gabriella Nichols

Aprovada em 05 de fevereiro de 2020, a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética possui em seu texto um ponto específico sobre a proteção de infraestruturas críticas nacionais e também sobre a ampliação de parceria entre setores público, privado, acadêmico e civil. Além disso, no dia 25 de julho de 2019 também houve a aprovação do Plano Nacional de Internet das Coisas. Evidentemente foram avanços importantes, no entanto é preciso que se garanta o investimento efetivo em desenvolvimento e pesquisa no setor de defesa cibernética.

Impacto em Segurança e Defesa: Falta de definição nas políticas públicas em estabelecer um padrão de arquitetura de software para cibersegurança pode prejudicar uma maior efetividade na segurança cibernética dos dispositivos interconectados em IoT. Com o aumento desses dispositivos, essa fausência de padrão de segurança aumenta a vulnerabilidade dos dados e a insegurança das empresas.

Fonte: BRASIL, Decreto Nº 10.222 de 05 de fevereiro de 2020. Aprova a Estratégia Nacional de Segurança Cibernética. Brasília, fev 2020. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/decreto/D10222.htm