Especialista em defesa alerta para necessidade de reforço em automação, biotecnologia e cybersegurança

46
Imagem: Monitordolarvzla

Por Walmor Cristino Leite Junior e Alan Oliveira de Sá

De acordo com o especialista em defesa e almirante da reserva da marinha americana, James Stavridis, é importante para os Estados Unidos reforçarem as áreas de automação, biotecnologia e cibernética. No que se refere especificamente ao campo cibernético, todas as facilidades geradas pela tecnologia da informação estão acompanhadas de novas ameaças que devem ser corretamente mitigadas. A Internet das Coisas (IoT, sigla em inglês) representa bem esse contexto. Com esse conceito é possível implementar complexos sistemas remotos de controle e automação, porém a dispersão dos elementos controladores cria novas portas de acesso para indivíduos maliciosos.

Impacto em segurança e defesa: O aumento nos investimentos estatais em segurança e defesa cibernética pode gerar uma corrida armamentista digital entre nações. Dessa forma, é preciso acompanhar com atenção as tendências internacionais nesse campo para elaborar e aperfeiçoar as políticas públicas brasileiras para espaço digital.

Fonte: STAVRIDIS, J. Six Ways the U.S. Isn’t Ready for Wars of the Future. Bloomberg Opinion, 10 jul. de 2020. Disponível em: https://www.bloomberg.com/opinion/articles/2020-07-10/ai-cyber-biotech-is-the-u-s-ready-for-future-war