5G vai compensar deficiência energética em Internet das Coisas

8

Por Marcelo Barros e Gabriella Nichols

Com o advento do 5G, os desenvolvedores da Internet das Coisas (IoT) planejam  implementar o conceito de carregamento dedicado por radiofrequência (RF). Com previsão de já estar disponível em 2025, a expectativa é de que a tecnologia melhore o desempenho na coleta de dados e, consequentemente, a experiência do usuário. A limitação atual tem sido o alto consumo energético de certos dispositivos, dificultando sua ampla adoção. Há pesquisas para criação de uma nova arquitetura de rede em que as partes de dados e de energia dos dispositivos estariam separadas. Desta forma, seria possível compensar a deficiência energética com o uso combinado de energia solar, vibracional, térmica, química, biológica ou eletromagnética ambiental.

Impacto na Segurança e Defesa: Possibilidade de uso de dispositivos para monitoramento de soldados em tempo real, com carregamento sem fio via 5G, ou nas estações base. Outra funcionalidade conferida pelo 5G é a melhoria no uso da IoT nas áreas de saúde e acompanhamento psicológico do usuário.

Fonte: GALININA, Olga, et al. On Feasibility of 5G-Grade Dedicated RF Charging Technology for Wireless-Powered Wearables. Researchgate, 20 nov. 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/284476180_On_Feasibility_of_5G-Grade_Dedicated_RF_Charging_ Technology_for_Wireless-Powered_Wearables.